22 de dezembro de 2011

É para ler
 Historinha de Natal:
Quatro velas queimavam lentamente e conversavam. O ambiente estava tão silencioso que se podia ouvir a conversa delas. A primeira disse:
- Eu sou a Paz. As pessoas, porém, não conseguem manter-me acesa.
Diminuindo a sua chama devagarinho, apagou-se totalmente. A segunda vela disse:
- Eu chamo-me . Infelizmente sinto-me a mais. Quase ninguém quer saber de Deus. Por isso não faz sentido continuar acesa.
Um vento soprou levemente sobre ela e apagou-a.
A terceira vela manifestou-se, muito tristonha:
- Eu sou o Amor. Não tenho força para continuar acesa. As pessoas só querem cuidar de si próprias, esquecendo os outros que estão com elas.
E também ela se apagou.
De repente entrou uma criança e viu as três velas apagadas. Apenas uma continuava ainda acesa.
- O que se passa aqui? Por que é que estão apagadas? – perguntou a criança.
A vela que continuava acesa, respondeu:
- Podemos reacendê-las. Eu sou a Esperança. Ajudas-me?
A criança pegou na Esperança e com ela acendeu novamente as que estavam apagadas.
A Esperança é sempre a última a morrer.

18 de dezembro de 2011


Recados para Orkut


Este recado é para o Hugo e para a Diana que fazem hoje anos. Tudo de bom para vocês! Beijinhos!!!

17 de dezembro de 2011

E mais novidades, querem ver:
A Turma Quatro A e 4º B no seu melhor, shuffling dancers!!! Uau, espetacular. A Emilly fez uma linda espargata.  Boa Usufi, Ruben Neves, Pedro, Nilton,  Vinicius, Emilly, Luis! . E o Hugo está tão giro!!! Boas férias para vocês. Vou ter saudades!!! Jorge, Afonso, tão bem que ele está,;))! Cristiana, Hadja, Kelma, Diana,  lindas! Adorei esta festa!
Mas também cantaram, ensaiados pela professora ...

e pelos professores das AEC's: 
Luis Rosa e Mariana Torres. Estiveram muito bem!!!
video


16 de dezembro de 2011

Novidades... Novidades... da nossa festa de fim de Período!!! Correu muito bem!!! Está aqui um cheirinho... Depois virá o resto!!!
O belo do elenco:
Os ensaios...
 Pois, os professores ofereceram aos alunos uma peça de teatro espetacular, oh, se foi!!! Foi um desafio ultrapassado com muito gosto... Vejam lá se as professoras ficaram bem nos seus papéis? 




 A árvore realizada por toda a população da escola do Conventinho:
A turma cantou muito bem "O Pai Natal vai chegar..."
 Foi um dia bem passado o nosso e terminámos o final de ano muito bem. Para o ano voltamos todos com muita vontade de trabalhar, ok??????

14 de dezembro de 2011

As nossas renas puxando o trenó do Pai Natal...


 Pormenores da nossa árvore:
Os nossos vitrais com tampas de Nesquik, papéis celofane e crepe:
 


2 de dezembro de 2011

Olha a nossa porta tão gira!!!! Tem uma árvore de Natal, feita de cartão com estrelas de tampas de nesquik e laços de embrulhos. 

26 de novembro de 2011

Mais trabalhos sobre a nossa história:



E o nosso painel da História de Portugal continua a crescer... O João lá foi colocar mais um recorte sobre um aspeto que estudámos. Estamos todos entusiasmados com aquilo que se passou ao longo do nosso passado nacional...

23 de novembro de 2011

Hoje a nossa turma, juntamente com o outro 4º ano, participou no "Corta-Mato Escolar", realizado no Circuito de Manutenção da Cidade Nova. E foi grande o convívio e a alegria de participação. Ficámos também muito contentes porque o Nilton ficou no 1º Lugar no escalão Infantil A. Masculino. Parabéns Nilton, a professora está muito orgulhosa por ti e por todos os meninos da turma que participaram neste evento. Parabéns a todos!!!
Eis algumas fotos do Corta-Mato:

20 de novembro de 2011

Click to play this Smilebox collage
Quando trabalhámos a Lenda do Vinho  realizámos a história em  Banda Desenhada:
Click to play this Smilebox photo album

13 de novembro de 2011

Recados Aniversário
Pois é , o João faz anos hoje!!! Parabéns João, tudo de bom para ti!!! beijinhos e felicidades, yeyyyyyy!!!

Click to play this Smilebox collage

11 de novembro de 2011

Hoje é dia de S. Martinho, mas como nós já ouvimos muitas vezes esta história, trabalharemos o texto "A Maria Castanha"...
"A Maria Castanha"


O céu estava cinzento e quase nunca aparecia o sol, mas enquanto não chovia os meninos iam brincar para o jardim.
Um jardim muito grande e bonito, com uma grade pintada de verde toda em volta, de modo que não havia perigo de os automóveis entrarem e atropelaremos meninos que corriam e brincavam à vontade, de muitas maneiras: uns andavam nos baloiços e nos escorregas, outros deitavam pão aos patos do lago, outros metiam os pés por entre as folhas secas e faziam-nas estalar – crac,crac – debaixo das botas, outros corriam de braços abertos atrás dos pombos, que se levantavam e fugiam, também de asas abertas.
Era bom ir ao jardim. E mesmo sem haver sol, os meninos sentiam os pés quentinhos e ficavam com as bochechas encarnadas de tanto correr e saltar.
Uma vez apareceu no jardim uma menina diferente: não tinha bochechas encarnadas, mas uma carinha redonda, castanha, com dois grandes olhos escuros e brilhantes.
- Como te chamas? – perguntaram-lhe.
- Maria. Às vezes chamam-me Maria Castanha .
- Que engraçado, Maria Castanha! Queres brincar?
- Quero.
Foram brincar ao jogo do apanhar.
A Maria Castanha corria mais do que todos.
- Quem me apanha? Ninguém me apanha!
Ninguém apanha a Maria Castanha!
Ela corria tanto. Corria tanto que nem viu o carrinho do vendedor de castanhas que estava à porta do jardim, e foi de encontro a ele.
Pimba!
O saco das castanhas caiu e espalhou-as todas à reboleta pelo chão.
A Maria Castanha caiu também e ficou sentada no meio das castanhas.
- Ah. Minha atrevida! – gritou o vendedor de castanhas todo zangado.
- Foi sem querer – explicaram os outros meninos.
- Eu ajudo a apanhar tudo – disse Maria Castanha, de joelhos a apanhar as castanhas caídas.
E os outros ajudaram também.
Pronto. Ficaram as castanhas apanhadas num instante.
- onde estão os teus pais? – perguntou o vendedor de castanhas à Maria Castanha.
- Foram à procura de emprego.
- E tu?
- Vinha à procura de amigos. 
- Já encontraste: nós somos teus amigos – disseram os meninos.
- Eu também sou – disse o vendedor de castanhas.
E pôs as mãos nos cabelos da Maria Castanha, que eram frisados e fofinhos como a lã dos carneirinhos novos.
Depois, disse:
- Quando os amigos se encontram é costume fazer uma festa. Vamos fazer uma festa de castanhas. Gostam de castanhas?
- Gostamos! Gostamos! – gritaram os meninos.
- Não sei. Nunca comi castanhas, na minha terra não há – disse Maria Castanha.
- Pois vais saber como é bom.
E o vendedor deitou castanhas e sal dentro do assador e pô-lo em cima do lume.
Dali a pouco as castanhas estalavam… Tau! Tau!
- Ai, são tiros? – assustou-se a Maria Castanha, porque vinha de uma terra onde havia guerra.
- Não tenhas medo. São castanhas a estalar com o calor.
Do assador subiu um fumozinho azul-claro a cheirar bem.
E azuis eram agora as castanhas assadas e muito quentes que o vendedor deu à Maria Castanha e aos seus amigos.
- É bom é – ria-se Maria Castanha a trincar as castanhas assadas.
- Se me queres ajudar podes comer castanhas todos os dias. Sabes fazer cartuchos de papel?
A Maria Castanha não sabia mas aprendeu.
É ela quem enrola o papel de jornal para fazer os cartuchinhos onde o vendedor mete as castanhas que vende aos fregueses à porta do jardim.

Autor: Maria Isabel Mendonça Soares,” Contos no Jardim”.


Emilly

10 de novembro de 2011


Recebemos hoje a visita do grupo de Teatro do CCSSAC que nos apresentou a peça: Os músicos de Bremen, dos irmãos Grimm, uma história que explorámos de seguida...
A história

Nesta história, um burro, um cão, um gato e um galo, maltratados pelos seus donos, abandonam-nos e decidem ir para Bremen, uma cidade onde conhecerão a liberdade.
No caminho para Bremen, vêem luz numa casa; espreitam dentro e vêem quatro ladrões desfrutando do produto de seu roubo. Apoiados nas costas uns dos outros, decidem cantar, na esperança de serem alimentados. A sua 'música' tem um efeito inesperado: os homens fogem, não sabendo a origem de tão estranho som. Os animais tomam posse da casa, comem uma boa refeição, e deitam-se para dormir.

Durante a noite, os ladrões regressam e um deles entra na casa para investigar. Ao ver os olhos do gato brilhando no escuro, pensa que sejam brasas e inclina-se para acender a sua vela. Numa rápida sucessão de acontecimentos, o gato arranha-lhe a cara, o burro dá-lhe um coice, o cão morde-lhe e o galo afugenta-o porta fora, cacarejando. O homem diz aos seus companheiros que foi atacado por monstros: uma bruxa horrível que o arranhou com as suas enormes unhas (o gato), um gigante que lhe deu uma paulada (o burro), e pior de tudo - um juiz que gritou aos seus ouvidos "Peguem esse patife"(o galo). Os ladrões abandonam a casa às estranhas criaturas que dela se apossaram, onde os animais vivem felizes até ao final dos seus dias.
Click to play this Smilebox scrapbook


in Wikipédia
Durante a semana fizemos os bonecos: o burro, o cão, o galo e o gato, e, a professora escolheu alguns para colocar no certificado que oferecemos ao grupo. Bem hajam pela vossa visita... adorámos a peça!
O nosso painel com os desenhos dos animais todos...
E também aprenderam a tocar instrumentos feitos por eles:
video
9 de Novembro de 2011
Hoje foi o dia da fruta mas só metade da turma aderiu. Fiquei triste... A frutinha faz muito bem!!! E eu nem devia obrigar, nem marcar dia... Os meninos deviam comer todos os dias, pelo menos, uma peça de fruta, não era???